anos-luz

janeiro 22, 2009

E chorava porque não conseguia alcançar todas as partes das próprias costas com a bucha na hora do banho. Tinha sempre a parte de cima, um pouco abaixo do pescoço. Ali, ainda que numa metáfora pobre, morava a constatação de que estranhamente dor e distância rimam. E existindo numa órbita diferente do seu objeto de desejo, se voltava contra deus e praguejava com força. Dava espaço ao ódio porque ele também existe. Falseava, criava táticas e rituais para pensar, ainda que por algumas parcas horas, que o que estava fora de alcance havia ficado relegado a um canto desprivilegiado de sua memória. Era mentira. Ledo engano, como preferiria dizer sua antiga professora de literatura. Mas, em meio à sua angustia de não alcançar, acabava descobrindo sentimentos bonitos que queria guardar. Vai entender.


clique aqui para ver minhas fotos

janeiro 18, 2009

Tem gente que anda sempre com máquina fotográfica na mão. Aí tudo que sai no orkut fica lindo, iluminado, divertido… muitos sorrisos. Afinal, bons momentos ficam melhores ainda quando todos podem vê-los. A felicidade fica imortalizada. Você se livra de pisar na parte da vida que tem lodo e se sente feliz porque suas lembranças já estão salvas no orkut, onde traça e ferrugem não chegam perto. Ninguém chora, não há tristeza, ninguém sente dissabor. Fico na dúvida se todo mundo está perdendo tempo ajeitando o foco para captar uma cena que já é perfeita ou se o errado sou eu porque não tenho bons momentos suficientes para encher um álbum no orkut. Nas vezes em que fiquei mudo e deliciado de felicidade, ninguém tinha uma máquina em mãos. Ou se tinha, preferiu não pegar porque tinha também inveja do tamanho do meu sorriso. Depois de um tempo, mesmo não tendo fotos, eu lembrava de tudo. Era só deitar na cama de olhos fechados que as lembranças vinham dividir o travesseiro comigo. Vinham mesmo; dava pra sentir até o cheiro gasto de perfume importado na camisa que ele usou na noite passada.


if nothing ventured, nothing earned

janeiro 11, 2009

Coisas que acontecem ao som de next time around precisam ser registradas antes que o gosto saia da boca. Horas de conversa + café + conhaque-esquisito-e-delicioso + sorrisos desajeitados + alguns cigarros fizeram a noite ser gentil. Vem, sorte, pra onde nós vamos?

 

 


Clarinha Chaves Godinho

janeiro 11, 2009

Durante nossas várias viagens juntos, você nunca aceitou meu convite de ficar no meu colo né, Clarinha? Mas eu te entendo porque o colo da sua mãe-atriz-linda é muito mais gostoso. Ainda não entendi porque papai do céu não deixou você ficar mais tempo aqui com a gente. Talvez eu até conseguisse te convencer a tirar uma soneca no meu colo em alguma cidade friona tipo São João Del Rei. Lembra como a gente sofreu lá? Só o vento frio de lá foi seu sofrimento. Nada mais tirou sua alegria porque você tava muito ocupada se lambuzando de picolé de uva ou brincando com a Maluzita, deixando o seu pai-palhaço-Bruno de cabelo em pé. Não chore nunca, menina, porque você se saiu tão bem aqui em baixo que até ganhou uma música tão fofa quanto você. Um sem número de pessoas já a escutaram e sentiram um pouquinho o que é uma Ana Clara Chaves Godinho. Ela é alegria sem medida, é picolé de uva escorrendo na roupa, é correria pra lá e pra cá, é doçura e beleza incalculável.


Para 2009

janeiro 5, 2009

sergipe-para-o-blog

 

 

Fui para essa paisagem aí em cima, que enfeita o menor estado do Brasil e, não sei como, lá descobri que é mesmo verdade o que dizem sobre recomeços. Já ouvi isso de ano-novo-vida-nova milhares de vezes de milhares de bocas e nunca acreditei porque acho que nunca realmente precisei recomeçar como agora. Fui obrigado a acreditar, visto que não posso mais escrever antigas palavras em antigos diários. Insistir seria como rasgar o papel com a força insistente da caneta ou queimar a pele com as águas-vivas do Sergipe. Mas é amanhã que começa meu 2009; é amanhã que vou colocar em prática as frases curtinhas que disse aos fogos de artifício da praia de Atalaia na virada do ano. Sem fogos coloridos, águas de coco e iguarias nordestinas da Patrícia, vou acordar bem cedo, ir para o trabalho e começar a escrever as primeiras linhas de 2009.

 

Queridos amigos de vida real e de blog, um incrível 2009 para todos nós.